Às voltas por Lima

Trip Start May 24, 2013
1
4
14
Trip End Jun 19, 2013


Loading Map
Map your own trip!
Map Options
Show trip route
Hide lines
shadow
What I did
Barranco Lima
Read my review - 4/5 stars
Plaza de Armas (Plaza Mayor) Lima
Read my review - 3/5 stars

Flag of Peru  , Lima Region,
Saturday, May 25, 2013

Antes de começar a história da nossa viagem, importa apresentar as personagens que vos vão acompanhar enquanto tiverem paciência para ler esta história.

White sheep
Trash bin
The cause
Sugar mommy
Sugar daddy
Number 5

Não há viagem sem imprevistos. E esta começou com a mais básica de todas: as malas da sugar mommy ficaram em Madrid, porque a TAP se esqueceu de as pôr no avião para Lima. Grande problema, mas sempre com perspectivas positivas: íamos ter mais tempo p conhecer Lima, e ao me os não estavam perdidas, pois sabia-se onde estavam.

Posto isto, fomos até ao terminal da Cruz Del Sur para o reencontro TAP esperado: lagrimas, sorrisos, e uma alegria por nos reencontrarmos com a The Cause, que há tantos meses nos tinha deixado para vir até ao Perú fazer voluntariado.

Feito o reencontro e as apresentações, pois havia gente que não se conhecia no grupo, ajustámos os planos e fomos conhecer Lima, a capital deste grande país. O dia estava nublado, pelo que confesso que não fiquei bem impressionado pela cidade. A Plaza de Armas era bonita, com a Catedral, o espaco de passeio e os edifícios que contornavam a praça. Havia muita gente nas ruas, mas as lonas abriam tarde, o que não deixou de ser uma surpresa.

A visita a uma igreja deu para perceber o tipo de arquitectura: o estilo colonial predomina na cidade, pois todos os edifícios são do mesmo período. Este é uma adaptação do barroco espanhol às colónias e está presente em quase todas as cidades que estiveram sob influência espanhola. Quanto às igrejas, a tendência de atravancar altares barrocos em espaços exíguos cria uma sensação de claustrofobia que não ajuda à reflexão. São igrejas bonitas, mas o conceito "menos é mais" não estava presente quando decidiram como enriquecer os templos cristãos neste país... :)

Para almoçar, deixámos a parte velha da cidade e fomos até Barranco. Falta o S e os touros... bom, e tudo o resto, porque não tem nada a ver com a nossa vila de Barrancos.
Almoçámos perto da Ponte dos Suspiros, no simpático restaurante Javier, onde nos dois servido um fantástico Ceviche, Chicharron de marisco e Lomo Saltado. Um manjar fantástico, num terraço com vista sobre o Oceano Pacifico, que ja conhecia do outro lado, mas nunca tinha visto sobre esta perspectiva.

De tarde, e após uma paragem no Starbucks para um café, passeámos por uma pequena feira de artesanato, vimos os últimos 10 minutos e fomos espreitar o oceano a partir denuncia pequeno parque com miradouro no cimo da falésia. A tarde passou e era tempo de irmos até ao aeroporto buscar a mala da Sugar mommy que deveria estar a chegar de Madrid. A mala chegava no voo das 17h45 e nós tínhamos de estar no terminal dos autocarros para apanhar o autocarro para Huacachina às 19h30. Mas as estruturas oficiais raramente ajudam e só depois de muita luta a Sugar mommy conseguiu recuperar a sua mala. Eram 19h00, tínhamos uma viagem de 40 minutos pela frente e o autocarro saía às 19h30. A forma como o Cesar, o nosso motorista, atacou a estrada que nos levaria de volta a Lima foi digna de filme: por norma, as estradas de 3 faixas dão para 6 carros nestes países, mas isso não era suficiente e todas as escapatórias serviam para ultrapassar mais alguns carros parados. Tudo feito em segurança, mas uma segurança peruana, à qual os europeus não estão habituados...
Apesar da rápida deslocação, chegámos 5 minutos mais tarde e a The Cause, o nimbes 5 e o Trash bin já tinham arrancado em direcção a Ica no ultimo expresso da noite. O nosso motorista levou-nos a outra companhia e lá arrancamos para uma viagem em classe executiva, que isto os gringos só em estilo... :) a classe executiva eram uns bancos que tinham o dobro do espaço para as pernas, o que deu imenso jeito, porque os peruanos têm as pernas pequenas e os lugares normais não foram feitos para europeus.

A viagem correu bem, fora o facto de nos acordarem umas 4 vezes para nos pedirem os bilhetes, como se não soubessem que ja ali vínhamos desde Lima. Enfim, antes muito zelo que pouco, né?

Chegámos a Huacachina, ao Bananas, o nosso hostal, já passava da 1 da manhã, e à nossa espera já estava a white sheep, que veio de Ayacucho para se juntar ao grupo de aventureiros. Mesmo a tempo de irmos dar um passeio e provar um pisco sour, a bebida típica do Perú, feita com Pisco, uma espécie de aguardente, limão, açúcar e claras de ovos. Um sabor agradável que escorrega bastante bem, que recomendo vivamente. Já o shot de pisco... Bom, aquece demasiado a garganta :)

Eram 4 da manhã quando regressámos ao hostal e fomos dormir. Amanhã é dia de sandboarding e o dia promete...

My Reviews Of The Places I've Seen



Loading Reviews
Slideshow Report as Spam

Use this image in your site

Copy and paste this html: