Tastings

Trip Start Jun 16, 2010
1
264
600
Trip End Dec 31, 2012


Loading Map
Map your own trip!
Map Options
Show trip route
Hide lines
shadow
Where I stayed

Flag of Australia  , Tasmania,
Sunday, March 6, 2011

As road trips têm de ter (pelo menos) um capítulo dedicado à prova.
Os requisitos do capítulo são simples:













  • Têm de se tratar de produtos locais de produção artesanal...ou, em tempos, artesanal (o que abrange básicamente...tudo...não somos esquisitos);







  • Têm de se poder associar a adjectivos como "degustação", “apreciação”, “emborcamento” (sim, como quem “emborca”), “devoração”;







  • Barato, normalmente a roçar o grátis. Ou lá perto.

Facilmente cumpridos os requisitos, as provas, divididas em três etapas, são um sucesso:













  • Prova de queijos em Pyengana, numa fábrica indexada a uma “dairy farm”. O café: Holy cow. A prova: Queijos de seis semanas, seis meses, dois anos, “blended” com outros produtos como chili. A fábrica estava fechada, hoje é sábado. Poderiamos ter percorrido as várias etapas da produção de queijo.







  • Paragem cirúrgica em Weldborough para provar e beber as cidras e cervejas fabricadas localmente;

Deixamos o vinho para amanhã. A condutora necessita de preparação prévia para se tornar elegível de nos acompanhar nessa degustação. As provas de vinho na Tasmânia diferem um pouco das provas do sul da Austrália:













  • A maior parte delas é paga: por cinco copos, 3$. E não são cinco copos, são cinco nesgas de vinho, quase não suficientes para o próprio copo as provar (esta uma outra diferença...aqui é tudo muito mal servido);







  • Os maiores produtores são também os que mais falam sobre as características dos vinhos provados. Os produtores mais pequenos são os que mais não falam. Imperceptível. Coincidências.

Conhecemos várias histórias de quem está agora à frente da produção e das provas. Desde de um cinematógrafo que deixou de ter “espaço” para a produção de anúncios televisivos até um produtor com “experiencia em Portugal”.
- então e esteve em Portugal? Tem experiencia onde? – perguntei entusiasmado.
- No Douro - respondeu aborrecido
- e durante quanto tempo? – ainda com entusiasmo
- 3 meses – respondeu apático;
- aaah…e gostou? – já a meio gás, contagiado pela falta de vida do senhor;
- Sim – respondeu
Não tenho paciência para pessoas monossilábicas. Não quer promover, que não promova. É tão fácil perder o interesse assim.

Produtores de vinho visitados amanhã:













  • Pipers Brook Vineyards;







  • Brook Eden;







  • Bay of Fires Wines (o melhor Champanhe: “Arras”);







  • Stoney Rise Vineyard;






  • Velo wines;
Slideshow Report as Spam

Use this image in your site

Copy and paste this html: