Praha

Trip Start Jan 03, 2011
1
8
9
Trip End Jan 22, 2011


Loading Map
Map your own trip!
Map Options
Show trip route
Hide lines
shadow
Where I stayed
Prague Square Hostel
Read my review - 4/5 stars

Flag of Czech Republic  , Bohemia,
Friday, January 14, 2011

Praga

Demorei pra terminar o post sobre Praga porque não sabia o que escrever. Nossa primeira impressão foi terrível. Estava muito frio e chovendo, e Praga não parecia ter as cores que tinha no panfleto turístico.

Fizemos um free tour pelo centro da cidade, como o de Paris. Mas era nítido que não havia muito o que ver.

O bairro judaico de Praga rendeu algumas histórias, a (curta) vida de Kafka outras...

A casa onde Mozart morou por uns tempos também foi assunto para o guia - o compositor foi premiado pela ópera Don Giovanni em Praga e decidiu ficar por lá um tempinho, comemorando com cerveja barata e unas cositas más – mas ficamos com a impressão de que uma cidade tão famosa tinha que oferecer muito, mas muito mais. Não foi o caso.

No dia seguinte, visitamos o castelo, que é um dos maiores da Europa. Mas como tudo em Praga foi construído há muito tempo, faltava um glamourzinho romântico à arquitetura e alguma lógica à disposição dos prédios. Em Praga, chama a atenção o fato de um prédio ser colado a outro. Mesmo o castelo, que praticamente divide parede com a catedral, e hoje em dia serve de palácio presidencial, casa de shows e lojinha de souvenires, parece carecer de um Lebensraum pra chamar de seu, e mal sobressai na paisagem. (Olhando de longe, parece que as torres da catedral pertencem ao castelo!).

Como o tempo estava horrível, os prédios do centro, que sempre imaginei coloridos, eram variações de cinza e beige. Acho que eu imaginava a República Tcheca como o melhor de dois mundos: o eslavo e o europeu. Mas ao contrário disso, Praga não é nem eslava nem européia. Na verdade a região foi ocupada por hussitas e boêmios que nem sempre viveram em harmonia – os hussitas adoravam jogar um bispo germânico pela janela.

Tudo o que há de imponente em Praga foi construído pelo Imperador Carlos

IV, entre 1346 e 1378: o castelo, a ponte, a universidade... Por isso quase tudo na cidade se chama Karolo, Karlova, etc. Sujeito modesto. Há uma lenda tcheca – há várias lendas tchecas, na verdade – que conta que, quando o rei Carlos IV morreu, os sinos fúnebres tocaram sozinhos.

Outra lenda tcheca divertida é a da princesa Libuse que governou Praga bem antes de Carlos IV nascer, no século IX. Hoje em dia ter uma presidenta é lugar comum, mas naquela época os cidadãos ficaram preocupados e sugeriram humildemente que ela se casasse ou... Reza a lenda que a resposta da princesa foi: atrás daquele morro, há um rio; atravessando o rio, há uma fazenda; na fazenda há um agricultor chamado Premysl, e é com ele que eu vou me casar.

E assim foi. Encontraram o tal Premysl, que não declinou o convite, e Praga ganhou um imperador varão. (Alguém entendeu porque uma história dessas teve que ser transformada em profecia auto-realizável? Pois é, as (várias) lendas tchecas não são fortes no suspense!)

O comunismo deixou marcas bastante aparentes em Praga e nos tchecos: o anticomunismo, o alcoolismo e o ateísmo (mais de 60% da população é ateia ou agnóstica – o que justifica a situação bizarra de que várias igrejas antigas viraram bares, museu de brinquedos, cafés e principalmente lojinhas de souvenir). Uma pena!


Tirei uma foto da propaganda do museu do comunismo pra vocês verem! É divertidíssima! Na minha opinião só perde para o cartaz da Coffee Heaven (uma espécie de genérico do Starbuck's no leste europeu) que dizia "Expresso yourself"! (Hahaha! Sen-sa-cio-nal!)

O alcoolismo em Praga é mais fácil de explicar. A cerveja é ótima e super barata. O absinto é permitido e pode ser encontrado em qualquer loja. Aliás, existem lojas, especializadas em absinto, que também vendem, curiosamente, a cannabis sativa em suas várias versões.

Apesar de tudo, da frieza do tempo e do temperamento da população, a balada em Praga é realmente divertida. O programa mais conhecido é o Pub crawl*, que acontece em quase todas as capitais européias, nas em lugar nenhum com tantos free shots como em Praga.

*Pub crawl – Um pub crawl (também conhecido como bar tour, bar crawl or bar-hopping) é o ato de percorrer, normalmente em grupo, vários bares da cidade em uma única noite, parando para beber algo em cada um deles.

Curiosidades:

1)     A República Tcheca é membro da União Europeia desde 2004, mas ainda não está na zona do Euro. Um Euro vale, mais ou menos, 24 coroas tchecas.

2)     Em três dias de Praga, não vi nenhuma loira natural! 

3)     Existe uma cadeia de restaurantes de comida vegetariana bastante famosa em Praga chamada BEAS. http://www.beas-dhaba.cz/. Fui provei e gostei! Aliás, a quantidade de opções vegetarianas nos menus de Praga me surpreenderam, assim como a quantidade de restaurantes indianos na região.

4)     O artigo mais típico da República Tcheca é o cristal. As peças são realmente lindas! Não resisti e comprei quase 5 quilos de cristal da Boêmia... quero ver como vou fazer caber na mala até o Brasil! :oz

5)     A cerveja mais conhecida é a Pislner Urquell. http://www.pilsnerurquell.com/in. DELIÇA!!! Mas também tem uma que se chama Budweiser (e é tcheca!).

6)     Outra bebida popular na República Tcheca é a Becherovka. Comprei uma garrafa, mas confesso que ainda não provei! É um licor, feito de alguma erva que ninguém sobre explicar. Dizem que é doce!  

My Review Of The Place I Stayed



Loading Reviews
Slideshow Report as Spam

Comments

PJ on

O mais irônico do museu do comunismo de Praga é que fica exatamente do lado de um Mc Donald's... e tem outro cartaz que também é bom, com o Misha (o ursinho das olimpíadas de Moscou) segurando uma AK-47.

Se tiverem tempo pra matar aí, vale gastar um dia pegando um trem para Pilsen e conhecer "a fonte": a fábrica da Pilsner Urquell.

Beijo e boa viagem!

Add Comment

Use this image in your site

Copy and paste this html: