AFL, música, Surf, cangurus e Sydney

Trip Start Jan 15, 2011
1
8
50
Trip End Dec 24, 2011


Loading Map
Map your own trip!
Map Options
Show trip route
Hide lines
shadow

Flag of Australia  , New South Wales,
Thursday, February 17, 2011

Ola Ola!

Como costume, e ja que deixei passar muito tempo desde a ultima entrada, ha muito que contar!

Depois de voltar a Melbourne tive então uns dias calmos, onde sinceramente não me lembro o que fiz haha. Sexta à noite fui novamente ter com a malta do Couchsurfing para mais uma noite com copos baratos (para os padrõesa australianos) e novas amizades a ser feitas (desta vez, australianos e canadiandas). Acabámos a noite num bar bastante porreiro chamado "Bar Open", com um pátio aberto nas traseiras com ar fresquinho e um segundo andar porreiro, com música ao vivo e muito animação. Este estilo de bares, sempre com bandas novas etc parece ser muito popular, o que eu acho que é uma óptima ideia!

Sábado, depois de algum tempo à mesa do pequeno-almoço a discutir a situação no Egipto com alguns companheiros de hostel, fui então dar uma volta pelo centro (onde encontrei alguma malta do couchsurfing) e às 4 apresentei-me em certo e determinado parque, a convite do Phong (um couchsurfer australiano com ar de asiático), para um jogo de futebol (do nosso, ie. "soccer"). Foi divertido e deu para matar saudades, mas eles decidiram juntar-se a outra malta que pediu para jogar e então éramos uns 8 contra 8 numa campo bastante grande (medido a olho, sem balizas nem anda do género), sem táctica nem nada, virou uma bela confusão hehe. Mas deu para jogar um pouco, mesmo mal equipado (não tenho ténis decentes, estava a jogar de all-stars hehe).

Mas a atração principal do dia estava para vir! Corri do parque ao hostel para um banho rápido e corri novamente para a cidade para assistir a uma partida de AFL (isto é, futebol australiano). Pelo caminho tive tempo de conhecer uma colega de quarto sueca (que levei ao jogo também) e de me encontrar com alguns amigos couchsurfers (um dos quais organizou este encontro) mais a minha amiga Jasmina (a que conheci em Itália), e juntos fomos então todos ver o jogo! Digo desde já que é um pouco confuso, mas depois de aprender as regras, achei o desporto bastante interessante! Aqui vai um resumo das regras, para os interessados:

* joga-se num campo oval e bastante grande, com 18 jogadores em cada equipa
* a bola, como já mostrei aqui, é oval e pode ser pontapeada ou "chutada com a mão". Digo isto porque, embora seja com as mãos, não se pode atirar a bola: poisa-se a bola numa das mãos e, com o punho da outra mão fechado, "remata-se" a bola. Confuso? É à australiano :)
* o objectivo é fazer o máximo número de pontos. Há 4 postes paralelos em cada um dos extremos (o que portanto equivale a 3 espaços no meio deles): para ganhar pontos é preciso rematar a bola (com o pé, e sem nenhm outro jogador tocar na bola até ela passar a linha entre os postes), e ganha-se 6 pontos no buraco do meio (chama-se um "goal") e 1 ponto num dos buracos do lado (ou se bater em algum dos postes), ao que se chama um "point" ou um "behind".
* quando a bola é passada a um jogadores da mesma equipa (com o pé) e este a agarra, diz-se que o jogador "marcou" a bola, e este tem 15 segundos para passar a bola onde ninguém lhe pode tocar (ou placar etc).
* não se pode placar acima do pescoço e abaixo dos joelhos, não se pode puxar (mas pode-se placar à bruta, "empurrando"), mas de resto pode-se fazer quase tudo (inclusivé saltar para cima de outros jogadores para chegar à bola antes deles).

E pronto, são +/- estas as regras. Gostei bastante do desporto e virei fã dos Collingwood: vestem preto e branco, o símbolo é um magpie (um pássaro - preto e branco - típico australiano) e ganharam o campeonato o ano passado. As outras equipas grandes são Carlton, Richmond e Hawthorne, e os fãs destas detestam os de collingwood, assumo eu por serem os melhores. É estilo o benfica de cá do sítio hehe. Tive direito a boné e cachecol da equipa, e aprendi também  o hino deles, que por incrível que parece (para quem conhece a minha memória), consegui decorar! Começa com "Good old Collingwood forever, they know how to play the game" e não vos vou maçar comn o resto.
Foi então uma boa noite desportiva, sendo que de seguida ainda fomos para um bar beber uns copos, escolher músicas na jukebox (incluindo, imagine-se, Rise Against!) e jogar snooker, onde a Josefin (a sueca) se revelou exímia. Ainda bem que ficou na minha equipa hehe.

Domingo voltou a ser dia de festa, daqueles que dá gozo estar na cidade! Toda a gente se aprontou e seguiu para St Kilda, onde se deu o festival de música com o nome do local (St Kilda Festival). Voltei a juntar-me à malta do Couchsurfing (é sempre bom poder ir a estes eventos sem conhecer ninguém e sair de lá com alguns amigos) e lá fomos nós. As ruas estavam cheias de gente, pequenos palcos com bandas a tocar, artistas de rua, comes e bebes e muita animação. Parecia que a cidade estava toda na Esplanade (a rua principal, junto à praia, que estava interdita a carros), na praia em si e nos jardins adjacentes. Fomos então juntando um pequeno grupo (que chegou quase às 20 pessoas) de malta que foi conversando e tal, e ouvindo a música. O único concerto que assistimos a sério, no entanto (e quando já só éramos 4) foi o de Muscles, um australiano qualquer que toca assim uma música electro qualquer, mas algo animado e que até dá para ouvir. O Muscles em si aparentava algo bêbado, mas deu para rir e ficar a conhecer música "australiana". E uma vez mais, saí com alguns novos amigos! Ah, e esqueci-me de referir: o festival é gratuito! Nada mau...

Segunda feira tive então a minha iniciação ao Surf! Fui com o meu amigo Yeshe (o que me deu guarida há umas semanas) e outro amigo dele (o Tom, que tinha conhecido na festa Salsa), que me levaram então para a zona de Torquay, no início da Great Ocean Road. Emprestaram-me todo o equipamento (prancha e fato) e lá fomos nós para a Bells Beach, que é uma das praias mais internacionais da Austrália, no que toca ao Surf, sendo que recebe alguns dos maiores eventos internacionais. E eu, meto principiante, ali enfiado!! Haha.

Pois bem, depois de alguma hesitação no que toca à escolha da praia lá nos decidimos, equipámos e entrámos na água. Basicamente, passei a manhã a "remar" (para os leigos, termo ténico do surf para quando se está deitado na prancha a usar os braços para avançar). As ondas eram enormes (de fora não pareciam, mas podem acreditar que lá de dentro ficam maiores), deviam ter 1,5 ou 2 metros (chega e sobra), e portanto não tinha grande convicção para tentar entrar numa. De consolação serve o facto do Yeshe e do Tom (que já fazem há alguns anos, embora que algo esporadicamente) também não tenham tido grande sorte. É das condições da praia, não do surfer! hehe. Depois de um almoço bastante saudável (na companhia de um canalizador suíço - da zona romanche! - que anda sozinho de bicicleta à volta da Austrália) voltámos às ondas, sendo que agora estavam algo mais calmas. Desta vez já tive coragem de tentar apanhar algumas, e perdi aquele medo de sequer me fazer ao perceber que não eram tão grandes quanto pareciam. Ajudou o facto de, ao tentar apanhar 2 ondas, me ter enrolado completamente e ter sobrevivido. Infelizmente o dia estava a acabar e era preciso voltar a casa (ainda são umas 1,5 horas a guiar), mas foi uma boa introdução, deu para perder o medo, aprender um pouco a controlar a prancha (mas não muito - quando me tentar sentar ainda parecia um cowboy em cima de uma touro selvagem num rodeo hehe) e ganhar vontade de repetir. Venham as ondas!
E como o meu estado do facebook dizia ao final do dia:

Ondas apanhadas: 0
Litros de água engolidos: 5
Tubarões: 5

Ao final do dia (e depois de por acidente ter encontrado malta do Couchsurfing sentada na praça principal a ver um filme - com os quais acabei a chutar a footy até nos mandarem parar hehe) fui ter com o Francesco, o meu amigo italiano, e dormir na casa dele. Terça feira fomos então buscar a nossa van de 5 * para a nossa viagem, sendo que um jovem holandês de 18 anos chamado Bart se juntou a nós para a viagem, mais uma vez via Couchsurfing (existe algo que esta comunidade não faça?!). Partimos então à aventura estrada fora, através da M1 (vejam no mapa, a sudeste de Melbourne) que nos levou à A1, que nos levou à Princes Highway, que nos levou a Sydney. Fomos, claro, parando pelo caminho, em sítio como Lakes Entrance (que como o nome indica tem muitos lagos), onde aproveitámos a hospitalidade dos australianos e usámos os barbequeues gratuitos que eles têm espalhados pelo país. Seguimos viagem (com o Francesco a conduzir e a esquecer-se de vez em quando em que lado da estrada devia estar) e passámos a noite (dormimos na van, que incluía 2 camas, fogão, frigorífico, loiça, etc) num sítio bastante bonito chamado "Merimbula", ao pé duma baía onde tinha água óptima (22 graus de manhã, soube mesmo bem para acordar), muitas raias gigantes (segundo nos foi dito, podem chegar aos 2 metros, mas não vimos nenhuma), a melhor onda left-handed da costa toda (termos técnicos do surf) e, e isso vimos nós mesmo sem ninguém nos dizer, golfinhos! É verdade, quando nos estávamos a preparar para ir embora, o bart viu algo na distândia a saltar da água, e conseguimos de facto ver bastantes golfinhos. Estavam muito longe, mas deu para ver que eram mesmo mais animais fofinhos hehe.

Seguindo viagem, desta vez comigo a guiar um pouco (e deixem que vos diga que não cometi erro nenhum, a adaptação revelou-se bastante simples - se bem que era um carro automático, pelo que não foi preciso pôr mudanças com a mão esquerda) e fomos parando no caminho para ver algumas praias bonitas e, o melhor sítio den todos, foi a Pebbly Beach: tivemos que guiar uns 20 minutos em estradas de terra batida, e levar com chuva em cima, mas chegámos à praia com cangurus domesticados que fazem body surf (ou seja, apanham as ondas sem prancha)! Não os vimos a fazer isso, para dizer a verdade, mas vimos bastantes cangurus ali mesmo ao lado, fizemos festas nelas, vimos um bebé com a cabeça de fora da bolsa da mãe, e algo que ainda não tinha visto (e que é muito engraçado), vi-os a saltar! Foi de facto uma boa paragem e compensou a viagem atribulada!

Infelizmente por essa altura chovia bastante, pelo que decidimos seguir para Sydney directos, sem parar mais pelo caminho. Ao final de algumas horas conseguimos chegar, e depois de algum tempo perdidos na cidade chegámos à Bondi Beach, a praia mais famosa destes lados. Por essa altura já era tarde, por isso foi só tempo de comer (no McDonalds, sempre lá), brincar um pouco nos jardins ao pé da praia com a minha footy e dar umas voltinhas pelas ruas escuras à procura de sítio para dormir. Lá encontrámos, dormimos (meio desconfortávelmente, mas deu para dormir) e de manhã fomos entregar a carrinha ao destino (o que não custou tanto, com o google maps a ajudar). Por esta altura o Francesco abandonou-nos (foi ter com o amigo onde vai ficar a dormir) e eu e o Bart seguimos de volta a Bondi, dispostos a aproveitar o sol! Depois de ele fazer o check-in no hostel, seguimos então para a praia, que se revelou um espectáculo! Belas ondas, tanto para os surfers (haviam bastantes) como para os body-surfers (como eu), belo sol, bela paisagem e muita gente gira hehe. Mas apanhar as ondas com o corpo foi mesmo o ponto alto! Adorei. Tenho a impressão que vou adorar esta cidade!

"Infelizmente" tive que abandonar a cidade mal cheguei: estou neste momento num comboio (bastante quente e cheio de gente que volta dos seus trabalhos na cidade) a caminho de Newcastle, no norte, onde o meu amigo Jason mora. Não planeava ir já para o norte, mas fui obrigado a ir já que a Anna (a minha outra amiga, que mora no meio do mato, longe de tudo) vai lá estar este fim de semana e insistiu que eu fosse! Por isso vou lá passar uns dias, sendo que domingo voltoa Sydney para aí sim, explorar tudo o que esta maravilhosa cidade tem para dar. A opinar pelo que vi, como referi, acho que vou adorar! E a minha outra amiga (a Cat) é de Sydney e vai preparar 1001 actividades para eu me juntar, inclusivé rugby debaixo de água (ignoro como se joga) e outras cosias (ela é meio maluca, mas num bom sentido). E há sempre a comunidade couchsurfing!

Estou a dias de finalizar o meu primero mês na Austrália, pelo que julgo que está na altura de uma pequena reflexão, muito ao estilo do Marcelo Rebelo de Sousa (grande amigo e futuro colega da minha irmã). Posso começar por dizer que não parece que tenha sido um mês! Gente que viaja durante muito tempo (como a Anna) diz que ao final do primeiro mês dá assim uma certa vontade de regressar (embora ela nunca tenha caído na tentação), mas não posso dizer que tenha sentido. Ainda agora aqui cheguei, parece que ainda não vi nada, e ainda há tanta coisa para ver, aventuras para viver! Posso portanto dizer que estou a adorar o meu tempo cá, e não me arrependo nem por um segundo da minha escolha: a vida é para ser vivida a fazer o que se gosta, e o trabalho deve ser um meio para alcançar isso mesmo. Posso não estar a construir uma carreira, ou ganhar conhecimentos importantes para a vida profissional, mas acreditem que estou a aprender muito sobre o mundo tudo, e acredito que isso me possa ajudar no futuro. E cada vez qu penso que podia estar fechado num escritório em vez de estar naquele sítio em particular penso: "Fuck that shit" (perdoem-me a linguagem). Claro que um dia irei regressar ao trabalho, mas por agora agora quero é divertir-me. Sei que tenho muita sorte por estar onde estou, e cada vez que penso nisso sinto-me quase ingrato, mas isso só me dá mais vontade de aproveitar ao máximo!

Enfim, é tudo por agora. Espero que por esses lados esteja tudo bem, e se estás a ler isto e a pensar "devia fazer o mesmo", deixa de pensar e age. Força! O mundo é enorme, há demasiadas coisas para ver para se passar a vida fechado num país (já para não dizer num escritório). Como dizia o outro, "e por mares nunca dantes navegados"...

Abraços,
Daniel

ps: perdoem-me a escassez de fotos, mas a minha máquina avariou. As que tenho são cortesia de amigos. Entretanto vou tratar brevemente de comprar uma nova, com garantia internacional para o que der e vier.
Slideshow Report as Spam

Comments

Mamã on

oi, filhotinho,
Estou a viver as tuas aventuras e a adorar!
Escreves muito bem, fico deliciada a ler e a imaginar!
Diverte-te
Beijinhos, muitos e xi-corações apertadinhos, daqueles que tu não gostas,
mamã

tia Nokas on

Querido sobrinho
Eu também estou a viver a tua viagem, cheia de inveja, mas no bom sentido. Não tenhas sentimentos de culpa, porque mereçes 100 % essas férias. A vida profissional vai-se compôr, a seu tempo, porque tens capacidades e iniciativa.Tens muito tempo para a construires com muito sucesso. Lembro-me que a tua mãe tinha muitos sonhos para realizar depois de acabar o curso, mas as restrições impostas pela nossa educação impediram-na de ir à aventura. E a mim também. Admiro-te muito e respeito-te por seres tão corajoso e decidido. Um grande xi,,,,, muito apertadinho.

Add Comment

Use this image in your site

Copy and paste this html: